quarta-feira, 29 de setembro de 2010

CINEMA

São Paulo dá um filme por dia. A infinitude de seus roteiros diários vai de Buñuel a Almodóvar, passando por Fellini, Bergman, Won Kar Wai e Glauber.
Nada de deus nem do diabo. É o supra humano na terra da...na terra.
Hoje eu vi a lua entre o farol e o viaduto.
Gostei então ainda mais do vermelho. E do verde também. Fiquei ali, parada à beira asfalto olhando pro céu.
 
(Tanta, tanta gente. Olho pro mar e só consigo matutar: em quem eles vão votar?)
 
 
 
Minha mente psicodelia. Meu coração SAUDADE. Construo mil personagens. O argumento é só começo e meio.
 
 
(tem fim?)
 



 
 
A propósito: as praias desertas continuam esperando por nós?

Um comentário:

B. disse...

A propósito das eleições, prefiro esperar que do nada se concretize a vontade de algo mais...
Sinto falta do Godard nesse trecho de tão boas memórias cinematográficas, mas fica guardado na entrelinha destes nomes ditos terem nele certa referência e admiração!

Belas palavras nessa pagina cheia!